top of page
  • igrpersonal

Golpe imobiliário nos Ingleses centenas de pessoas lesadas

Balanço Geral Florianópolis



Rodrigo, Valmir, Andreia. Todos afirmam ter sido enganados. Todos os apartamentos neste prédio .


A obra parou. O que exatamente aconteceu ? Como é que chegou a essa conversa? O fato aconteceu que o prédio que eu comprei era para ser entregue o apartamento em dezembro. Em dezembro começou a atrasar.


Eu controlei o material aqui que saía, porque trabalhei na loja , comecei a controlar e que parei. Eles compraram o material aqui? Compre o material aqui com nós. Na loja que você trabalha? Na loja que eu trabalho.


Então comecei a diminuir o fluxo de material, comecei a diminuir, eu comecei a ir em cima. Em janeiro eles já não apareceram mais aqui na loja. O documento comprova a quitação do valor de R$ 110 mil.


Parte do dinheiro foi em cheque depositado. A cópia é esta, R$ 44 mil. Um dos carros que ele usou no pagamento apareceu, mas o outro não.


Esse é um dos carros. É um dos carros. O outro, infelizmente, já tinha passado a documentação, mas o meu advogado está entrando com o recurso de busca e apreensão do veículo.


Sumiu? Tá rodando aqui nos ingleses. Esse aqui foi um dos carros. E onde você encontrou? Esse carro aqui, o corretor que me vendeu o apartamento negociado direto com ele.


E eu não passei a documentação, fiquei esperando pelo término da obra. Agora, quando deu tudo esse rolo, eu fui lá e falei, ó, o carro tá no meu nome, você sabe. Ele disse, não, vou te entregar porque comprei direto do Diego .


Então, não tenho, não tenho documento nem nada, me entregue na boa. O problema vai muito além de uma obra inacabada. Tem apartamentos com três, quatro donos? Até mais.


Se tem conhecimento, isso está sendo investigado e averiguado com toda a certeza, de até seis ou oito pessoas. Oito, mesmo apartamento? Mesmo apartamento, mesmo apartamento. O sonho se transformou em pesadelo.


O prédio que já deveria estar pronto, na verdade hoje, é um grande esqueleto abandonado. Os apartamentos estavam sendo vendidos aqui entre 100 mil e 240 mil. São três no térreo, seis no andar seguinte, mais seis logo acima e as coberturas.


17 apartamentos no total, sendo que 42 pessoas já comprovaram ter feito negócios aqui. Apartamentos de 80 metros quadrados, outros um pouco maiores, com dois quartos, dois banheiros, sala, cozinha. O prejuízo calculado já é milionário.


Sandro, no seu caso, como é que foi? Você se interessou pelo apartamento, gostou do projeto e, claro, começou a negociação. Isso, eu vi a planta na imobiliária, vi o projeto na imobiliária JJ, fiz uma visita até eles, fui até eles, vi como era, me informei com eles sobre a idoneidade do construtor, me disseram que já tinham feito três prédios, três obras com ele que foram entregues , que tinha toda a segurança e eu fiz o negócio diretamente com a imobiliária, O depósito começou a ser feito logo em seguida? No dia seguinte eu já fiz o depósito, já paguei a primeira parte, a segunda parte no mês seguinte e ficou um final pra pagar nas chaves. Quanto você perdeu? Em torno de 50 mil.


50 mil? 50 mil reais, mais ou menos. Cerca da metade do valor do apartamento? Mais da metade, o valor do imóvel era 90, isso. Andréia mostra um documento que deixa tudo ainda mais complicado.


A obra já estava parada por determinação, mas as vendas, não. Comprei em outubro de 2015, daí mostra que no dia que eu comprei, claro. Alto da infração, início da obra, sem alvará, e depois dia 3 do 12, alto da infração, desacato ao embargo municipal.


Depois, 20 do 11, antes daquela lá, alto da infração, desacato do embargo municipal. Dá uma olhada no interior. Esse aqui já está em fase de acabamento.


As paredes já têm até cor branca por conta do gesso que foi colocado. Esse aqui seria um espaço de sala, de jantar, que já é unido à cozinha. Há ainda muita coisa para ser feita nesse ponto.


A varanda está logo ali, na sala de estar. Um pouco mais atrás, se nós andarmos por esse corredor, dá para ver um suposto banheiro, mais um quarto, outro quarto aqui. Há instalações para uma espécie de armário, closet, exatamente nesse ponto onde há a entrada da suíte.


Aqui também seria mais um banheiro inacabado. Apartamentos como esse estão em todos os andares e a obra está parada. Não há um único funcionário nesse local.


Diego, que é citado por todas as vítimas, é Diego Rodrigues Vieira Veras. O nome dele aparece nos contratos como construtor. A polícia tem ouvido mais de 40 pessoas que já registraram ocorrências , o que inclui donos de imobiliárias que também se dizem lesionados.


As imobiliárias, os corretores, a gente foi enganada tanto quanto os compradores, porque as obras resultaram a atrasar. não era de costume dele fazer isso, nas outras obras também. E começou a haver muito atraso e tal.


Teve uma pessoa que fez um grupo com os proprietários para começar a discutir se fosse colocar na justiça por causa do atraso da obra . E nisso eles sabiam que tinham outras unidades que também tinham sido vendidas , duplicidade e tal. Uma coisa que a gente não sabia .


Gladys perdeu o marido há pouco tempo e mora, desde então, com o filho. Todo o dinheiro que tinha aguardado e o carro investido no projeto desapareceram. Dona Gladys, a senhora passou por tanta coisa, né? Isso aqui tudo deveria ser a casa da senhora.


Minha casa. Minha vida. Porque eu tanto lutei, tanto trabalhei, fiquei viúva, meu filho me trouxe pra cá pra me dar um alento e agora tudo isso acontecendo com nós.


Um sonhinho que termina com uma desilusão imensa, com tudo que está acontecendo, que a gente tá vendendo, né? A dificuldade pra conseguir anos e anos de trabalho, de... Tudo, tudo leva. Seguimos outra pessoa que se diz vítima de um golpe, morador dos ingleses, para mostrar que há mais.


A decepção e o prejuízo se estendem para outros empreendimentos. como este aqui, que não está a mais do que dois quilômetros do primeiro prédio que mostramos. As vítimas se dizem lesionadas também neste local.


Gente que comprou apartamentos num prédio que tem a mesma configuração. São 17 apartamentos. A polícia ainda investiga de fato quantas pessoas também foram enganadas bem aqui .


Os valores são enormes. Essa placa, local interditado pela Prefeitura de Florianópolis, ela não estava aqui? Não, essa placa, eu sempre moro aqui na rua de trás, sempre quando eu saio do meu serviço, eu passo, olho, sempre vim acompanhando a obra. Porque uma compradora mostrou o papel que foi interditado em 2015.


Não, não foi. Essa placa só veio pra cá agora, de janeiro pra cá. Quando a placa apareceu, vocês entraram em contato com eles? Sim, uma gente entrou em contato com eles.


Eu mandei o WhatsApp. O sócio dele, que era o que mais fazia parte da comunicação, passou o número de um advogado . Quem é o sócio? Ó Danilo.


que é cunhado dele. Mas ainda com a placa aqui, a obra atingida? O retor dessa imobiliária me contou dizendo que estava procurando um terreno para permutar, para um construtor fazer um devido prédio que queria permutar em construção ali, né? Quanto o senhor negociou? Eu negociei cinco apartamentos com ele, que eram dois lotes. Ele me deu cinco apartamentos na obra e mais uma garagem, uma garagem coberta.


Os apartamentos do senhor entraram na roda de outros negócios. Venderam também. A polícia ainda não sabe onde estão os construtores.


Compradores que se dizem enganados afirmam na internet, onde lançaram as fotos dos supostos envolvidos, que o número de vítimas pode ultrapassar 130 pessoas. Há três construções que podem passar por investigações. Todas, segundo as vítimas, do mesmo construtor.


E ninguém sabe onde ele está. Se esse dinheiro não voltar, como é que vai ser? A senhora está morando com o filho? Com o filho, sim. Aí eu não sei.


Não sei mais o que fazer. Começar a trabalhar de novo, né? Procurar emprego. Fazer o quê, né? Vamos...


Recomeçar. Recomeçar, tentar recomeçar. Ter força, peço a Deus, que me dê força pra recomeçar.


Eu, meu filho, neto, né? Tocar pra frente, com a força de Deus. E esperar, né?

0 visualização0 comentário

ความคิดเห็น


bottom of page