top of page
  • igrpersonal

Vítimas acusam suposta corretora de imóveis de golpe


Record Interior SP


Olha, e em Batatais, um grupo de pelo menos 25 pessoas que queriam comprar uma casa própria alegam que caíram em um golpe de uma suposta corretora de imóveis. Os casos foram parados na polícia e o prejuízo pode chegar a R$ 70 mil. É o famoso Minha Casa, Minha Zica.


Veja. O sonho de ter a casa própria se tornou um pesadelo para este pensionista de 58 anos. O único dinheiro que ela tinha no banco, juntado com muito sacrifício durante a vida, foi parar nas mãos dos golpistas.


A senhora perdeu quanto? 70 mil. Ela foi procurada por um casal que se passou por corretor. Mostrou a ela uma casa que estaria à venda.


A conversa foi tão convincente que prometeram a ela um ganho de R$ 25 mil. Certa que conseguiria a casa mais o dinheiro, repassou aos golpistas R$ 70 mil. Ficou sem o dinheiro e em casa.


Aí ele falou, nós vamos fazer assim, eu vendo para a senhora por R$60,00, você já me passa R$70,00 para mim e eu depois vendo por R$85,00. Aí foi onde eu estava passando o dinheiro achando que ia ganhar esses R$25.000. Perdeu o dinheiro e a casa nunca? Nunca.


Perdi dinheiro e perdi casa, tudo. Que agora eu não sei nem com quem tá essa chave, com quem deixou de estar. Esse gerente de vendas também caiu no golpe.


Perdeu 11 mil reais. O dinheiro seria usado para a documentação de um terreno neste loteamento. Neste áudio, o golpista fala do andamento dos documentos junto ao banco.


Documentos que nunca existiram. Tô te encaminhando o protocolo aí, pra você ver o andamento. processo lá da liberação do terreno, dia 25 eu vou pegar a matrícula, tá? Eu dei entrada ontem, eles pedem um prazo de cinco dias úteis, então dia 25 eu vou pegar a matrícula e aí a gente manda para você analisar a planta, tá bom? E aí a gente começa a obra, inicie a parte da construção.


A vítima só percebeu que havia caído em um golpe quando estava atrás da loteadora e percebeu que o terreno nunca esteve à venda. Eu comecei a desconfiar quando peguei e fui verificar com mais atenção o que estava apostando , porque eu não via uma resposta muito, assim, muito verdadeira da parte dela. E aí eu comecei a desconfiar.


Foi quando eu procurei uma empresa que fazia a venda dos terrenos e um representante dessa empresa me falou que o terreno que até então ela me tinha vendido, aquele terreno já possuía um proprietário. E que esse proprietário já estava praticamente começando a construir aquele terreno. Foi então que eu vi que tudo que ela estava me passando era mentira.


Porque o terreno não era dela, praticamente ela não tinha me vendido. E o terreno era de um rapaz que nem sequer conhecia essa moça, essa golpista. Revoltada com a situação, a vítima entrou em contato com o golpista e ainda recebeu ameaças.


Você vai ter um processo muito mais complicado do que você imagina. Você acha que você é quem está na fila do pão, menino, para me prejudicar? Tenho anos de experiência em lidar com pessoas e de trabalhar nessa área . Você não sabe onde você está envolvido, o que você está falando por aí.


Você vai ter que provar tudo, tudo provado. O que você não provar, eu não vou ter feito nem da sua mãe. É que não tem nada pra tirar de vocês, né? Mas, mesmo assim...


Vamos ver onde vai parar essa representação pública aí. Tem bastante ameaça, inclusive o parceiro dela, que já foi na porta de minha casa, já foi também na porta de casa de outras vítimas, pedindo para tirar o boleto de ocorrência. Tem numerosos casos, sabe? Não só o meu, mas tem muitos casos.


Para dar mais resposta no trabalho de corretagem, a suposta golpista trazia as vítimas para este loteamento, onde há casas sendo construídas e terrenos à venda. Era uma forma das vítimas acreditarem que a compra seria efetivada e aí depositavam o dinheiro da entrada. foi o que aconteceu com a maioria das vítimas, inclusive com este marceneiro.


Um golpista mostrou ele o terreno onde seria construída a tão sonhada casa . Convencido da honestidade da então corretora, ele depositou R$ 25 mil na conta dela. Quando viu que havia caído num golpe, ligou-se a uma mulher e pegou a seguinte resposta.


Ela falou que não sabe onde está o dinheiro. passou dinheiro pro pessoal dela que ela não sabe onde tá, que não tem dinheiro. Mais de 25 pessoas já procuraram uma delegacia de batatas, mas as segundas vítimas até hoje nada foi feito.


Os golpes ocorreram há pelo menos dois anos e a suposta corretora segue impune. E não tem pra quem pedir ajuda, só pra Deus. Então gostaria de receber esse dinheiro de volta.


Tem esperança de ver se consegue. Pelo menos ela é presa, né? Ver se pelo menos a polícia consegue pegá - la para parar de prejudicar o povo. Porque não é fácil, né? Você luta para conseguir uma coisa e a pessoa vem e toma tudo o que é seu.


Olha, eu vou endossar esse apelo, tá? Por enquanto, assim, na boa, com o pessoal aí de Batatais. Pessoal, por favor, né, que sempre é parceiro, trabalha junto com a gente no Balão Geral, sempre abre as portas da delegacia por aí. Investigadores de polícia da querida Batatais, por favor! Entrem nesse caso.


Entramos em contato até agora, nenhum investigador , nenhum delegado de batatas falou, olha, a gente pode falar a respeito desse caso. Então, a gente quer saber, tá sendo investigado há dois anos, bolsas de vítimas, e esse golpista tá saciado na cidade, mora aí, não devolveu o dinheiro por quê, hein? É estelionato, é golpe. E aí, onde estão as respostas? Porque eles estão aí, economia de uma vida.


O cara vai lá, deposita achando que vai conseguir ter a casa dele e, na verdade, acaba caindo num golpe. Olha, Valentim, mas um golpista, ela está alegando que não é golpista. Mas então se não é golpista, prove o contrário e devolva o dinheiro, porque o terreno o senhor não passou.


Uma casa não existe. E aí, como que a senhora vai explicar isso? Então é por isso que a gente depende da polícia. Então, por favor, pessoal de Batatais, confiamos na seriedade das investigações e concluímos que essas vítimas de dois anos não são vítimas de um caso que foi ontem, que aconteceu na semana passada.


Há dois anos essa história vem rolando. A mulher, a suposta golpista está na rua, pode estar hoje, nesse momento, mostrando o terreno para outra vítima, fazendo outra vítima, e a gente está aí deitada em berço esplêndido. Esperando o quê? Então, confie na polícia de Batataia para investigar e dar um retorno para cá.


Tá bom, pessoal? E eu quero trazer esse retorno para as vítimas e mostrar se é golpista ou se não é golpista, tá? Mas, por enquanto, me entregou o que prometeu. Aí tem jeito, aí é cilada, tá? Aí tem cara de gol!

0 visualização0 comentário

Comments


bottom of page